SECRETARIA DE ESTADO
DA JUSTIÇA E DE DEFESA
AO CONSUMIDOR

Cadeia Pública de Estância realizará II Mostra de Arte
29/05/2018

Cerca de 50 peças artesanais fabricadas por internos da Cadeia Pública Territorial de Estância estarão a venda na II Mostra de Arte do projeto Fabricando a Liberdade que acontecerá nos dias 01, 02 e 03 de junho na praça Barão do Rio Branco, na Feira de Cultura e Arte de Estância.

Segundo o diretor da unidade, Vanilson Barbosa o número de internos que trabalham na fabricação das peças cresceu em relação ao número do ano passado. “Apesar da rotação de internos, conseguimos chegar a 48 pessoas trabalhando nos materiais que serão expostos, um número maior que o ano passado, em que contávamos com 28 internos”, afirma.

A mostra, segundo Vanilson, contará com bolsas de praia, lixeiros, vasos e peças surpresas. Peças essas, ele afirma, mais elaboradas, criadas pelos internos. Os materiais foram obtidos com o dinheiro da mostra anterior e também através de doações de igrejas e comerciantes locais.

Com a venda do material, 75% do valor é destinado a família e 25% para a compra de tinta, verniz, entre outros materiais necessários para a produção. Além de dinheiro, os internos que participam desse projeto conseguem remissão na pena e uma profissão.

No dia primeiro a mostra será realizada a partir das 18 h na praça Barão do Rio Branco, porém nos dias seguintes, a mostra estará aberta para visitantes das 08 h às 20 h.

A primeira mostra realizada no ano passado contou com 40 peças e apenas um dia de exibição, que foi muito elogiado pela população que prestigiou o trabalho dos internos. O aposentado José Batista elogiou a iniciativa da direção da Cadeia Pública de Estância por aproximar a unidade da comunidade, expondo trabalhos artesanais dos internos. “Isso é muito bom. Desejo que as pessoas saiam de lá recuperadas”, disse. O também aposentado Clóvis Silva Cardoso, 70, considera o trabalho de ressocialização implementado pela unidade como muito importante. “Deus ajude que todos saiam de lá recuperados e não voltem mais à prisão”, espera.